Zé Ricardo vê chance de Conca e Diego jogarem juntos: “Mais soluções”

A confirmação do acerto do meia Conca para o Flamengo causou grande comoção entre os rubro-negros, que já começaram a imaginar o time com o argentino atuando ao lado de Diego. Mas encaixar os dois na mesma equipe pode não ser tão simples assim. O técnico Zé Ricardo acredita que a presença de dois meias de criação aumenta o poder ofensivo da equipe, mas ele lembra que isso não pode comprometer o sistema defensivo e o equilíbrio do time.

– Conceitualmente, acho que quem mais se favorece com dois jogadores talentosos por trás é o centroavante. Eu, particularmente, gosto de atuar com um atacante de referência. Não que seja a única maneira. Já vimos várias outras que podem dar certo. Acredito que a minha resposta seria a resposta da maioria dos treinadores. Se a gente conseguir manter o equilíbrio da equipe, a gente tem condição de fazer esses dois jogadores jogarem juntos. Até porque o que a gente mais procura no futebol é solucionar problemas. Uma pessoa comum toma 6 mil decisões em um dia. No futebol, são 2 mil em 90 minutos. Com certeza, os atletas que têm capacidade de tomar decisões e solucionar problemas de forma mais eficazes podem clarear uma partida. Logicamente que uma equipe de futebol não se resume a dois ou três jogadores. A gente precisa manter o equilíbrio da equipe – afirmou em entrevista ao “Seleção SporTV”.

Zé Ricardo lembra que a equipe conseguiu manter esse equilíbrio durante boa parte do Campeonato Brasileiro de 2016, quando terminou com o quarto melhor ataque (52 gols) e a terceira melhor defesa (35 gols sofridos). E apesar de Conca, que se recupera de lesão no joelho, só poder estrear a partir de março ou abril, o treinador já pensa em como montar o Rubro-negro com os dois meias.

– Durante a competição, a gente conseguiu momentos muito bons de equilíbrio. Chegamos a brigar com o Atlético-PR pela melhor defesa (do Brasileirão). Chegamos a ter o terceiro melhor ataque. É esse equilíbrio que me interessa. Logicamente que, na minha cabeça, já rodam algumas maneiras de como a gente pode se posicionar. Vamos ver quando a gente vai ter essas peças. O Conca, pelo que a gente tem de informação, será a partir de março ou abril. A gente tem o Carioca, a Primeira Liga, que servem para dar o tom de como a gente está. A gente precisa estar preocupado com todos os aspectos. Mas, sem dúvida alguma, com esses dois jogadores disponíveis, temos muito mais soluções que problemas – concluiu.

Fonte: SPORTV